Carol Celico e Emar Batalha

Carol Celico, esposa do jogador Kaká, fala ao BLOGAZINE sobre sua fundação Amor Horizontal em lançamento Emar Batalha

Carol Celico, esposa do jogador Kaká, fala ao BLOGAZINE carol celico - Caroline Celico - O porquê de Carol Celico, esposa do Kaká, ser filantropa
Carol Celico, esposa do jogador Kaká, fala ao BLOGAZINE

Carol Celico esteve em Brasília para divulgar sua Fundação Amor Horizontal. Junto com a joalheira Emar Batalha, Caroline promoveu a venda do escapulário criado em parceria para arrecadar fundos para as ações da fundação.

Desde de 2013 a Fundação Amor Horizontal promove a conscientização da sociedade incentivando uma corrente de solidariedade por meio da internet. A proposta é direcionada para instituições idôneas, doadores (qualquer pessoa) e empresas parceiras, que fornecem produtos com descontos especiais.

Em Brasília, o evento ocorreu na loja Emar Batalha, no Lago Sul. Aproveitamos a ocasião para saber de Carol e Emar mais detalhes sobre a fundação e suas ações.

Joia Emar Batalha de Carol Celico carol celico - Funda    o Amor Horizontal - O porquê de Carol Celico, esposa do Kaká, ser filantropa
Joia Emar Batalha em parceria com a Fundação Amor Horizontal

Qual a história por trás desse projeto com a Emar Batalha?

Carol – A Emar se apaixonou pela fundação desde o início e teve a ideia de multiplicar a conscientização e sua história. O Brasil é um dos países que menos doam no mundo, está em nonagésimo- primeiro lugar, enquanto os Estados Unidos lidera o primeiro lugar. A missão da fundação é tirar o Brasil dessa posição e fazer com que as pessoas gostem de doar, sintam que doar faz bem ao coração, sintam prazer em ajudar.

Como funciona a arrecadação via site?

Carol – Temos o benefício de por meio de um site de doação viabilizar uma ação segura, transparente e efetiva, pois as  pessoas podem ver a doação chegando. Nós damos o feedback para o doador quando a meta é alcançada  e entregamos esses produtos para as instituições que validamos.

O que fazer para ser uma instituição validada pela Fundação Amor Horizontal?

Carol – Hoje são 53 instituições e todas trabalham com crianças. As instituições com as quais trabalhamos são idôneas porque o trabalho da fundação é validar rigorosamente as instituições que fazem um projeto há bastante tempo e que não tenham nenhum processo judicial. Analisamos o balanço financeiro e operamos como se fossemos um pequeno ministério público para ver se as instituições são idôneas e se estão dando resultado.

Temos foco em saúde, educação, abrigo e deficiência. Abrangemos todas as áreas de carência infantil. Hoje estamos somente em São Paulo, que é onde se encontra um núcleo enorme porque tem crianças  do Brasil inteiro que vão se tratar lá.  As pessoas acham que o Nordeste é o maior núcleo, mas é São Paulo que recebe pessoas de todo o país e por isso focamos lá primeiro. Mas a ideia é expandir para outros estados daqui há algum tempo.

O que a Fundação proporciona à essas instituições?

Carol – A fundação trabalha com produtos que são emergenciais para as crianças, como medicamentos, material escolar, higiene bucal e pessoal, eletrodomésticos, livros e brinquedos educacionais, colchão, cobertor e cuidados com o bebê. Todos esses produtos a gente consegue adquirir com 20 a 80 por cento de desconto. Assim, a doação por meio da Fundação Amor Horizontal vale muito mais.

 Como você mostra seu trabalho para seus filhos?

Carol- Ao longo da vida presenciei muitas pessoas em situações muito difíceis que me fizeram trazer essa realidade para outras pessoas. Hoje, com meus filhos, faço exatamente isso, eu explico muito e mostro que tem pessoas que não são privilegiadas e que o normal é não ser privilegiado no nosso país. A gente tem a necessidade de ter muito e isso não é necessário. Eu trabalho o desapego todo mês na minha casa, não deixo acontecer de seis em seis meses ou só na época do dia das crianças ou Natal. Nas festinhas de aniversário, eu sempre peço doação para a fundação e não presentes ou brinquedos. E eles concordam com isso que é o mais legal porque é difícil criança entender isso.

Eu falo que a filantropia começa quando você nasce assim ou se você é criado em uma cultura com a educação que lhe leva a doar ou ainda se você passa por um grande trauma. Falo que no meu caso eu passei por um pouco de tudo. A minha mãe acha que eu realmente nasci assim e tive muito exemplo dentro de casa e na escola.

Como se deu o processo criativo com Emar Batalha?

Emar – A marca da Amor Horizontal foi desenvolvida pela Carol que na verdade é um coração que se transforma em uma cruz e que ao mesmo tempo são duas asas de anjo. Então tem uma simbologia muito especial. A ideia era fazer uma joia que a pessoa não tirasse do pescoço porque é uma forma de ter a história da Amor Horizontal divulgada. Uma joia bonita, fácil de usar e símbolo de uma ação maior. O escapulário é 100% revertido para doação, tiramos o custo e nem as vendedoras trabalham com comissão nesta venda. Nossa preocupação é ver nosso trabalho divulgado porque cinco mil que entra é uma cota que faz a diferença no mês em uma instituição.

Qual a mensagem que você gostaria de passar para todos?

Carol- Doar faz bem pro coração!

AMOR HORIZONTAL
www.amorhorizontal.org

JOALHERIA EMAR BATALHA – BRASÍLIA

Edifício Fashion Park SHIS QI 17 loja 212
Lago Sul, Brasília- DF
Tel. (61) 9221-9654 / (61) 9221- 7122.

 

Comente!