Diamantes-de-sangue-BLOGAZINE  - Diamantes de sangue BLOGAZINE - Diamantes certificados viram realidade global positiva
Damien Hirst, For the Love of God, The Diamond Skull, 2007

O brilho de um diamante é algo que atrai o olhar feminino de maneira instintiva. Chega a ser compulsivo, em alguns casos. Até aí, nenhuma novidade, certo? O interessante é que a preocupação do consumidor em relação a origem do produto, tão presente na moda atual, chegou ao mercado das pedras preciosas.

Minha maior referência sobre o assunto, e acredito que da maioria que está lendo esse artigo, vem do filme ‘Diamante de Sangue’ (2006), onde se destaca o fato de que muitas das gemas vendidas por grandes joalherias têm origem em conflitos sangrentos. Atualmente não se leva em conta apenas a cor, claridade, corte e quilates na hora de aumentar a família de preciosidades dentro do cofre.

Cena do filme Diamante de Sangue  - Filme diamante de sangue BLOGAZINE 680x1024 - Diamantes certificados viram realidade global positiva
Cena do filme Diamante de Sangue

Sabe-se que o preço de mercado atual do diamante está ligado ao local de mineração, ao processo de corte e polimento e como a pedra chegou no varejo. O que era propaganda virou responsabilidade: diamantes podem ser para sempre se existir o respeito pela terra de onde eles vêm.

O dado oficial é de que 99% dos diamantes do mundo sejam legais e vindos de países certificados pelo Processo de Kimberley, que evita a compra e venda de diamantes de sangue, isto é, procedentes de áreas de conflito, guerras civis e de abusos de direitos humanos.

Hoje, sustentabilidade é fundamental para o luxo!

Comente!