LENDO

Exposições de moda impulsionam venda de produtos

Exposições de moda impulsionam venda de produtos

Exposições que envolvem a moda são sempre agradáveis e educam os amantes dessa indústria, mas acima de tudo, impulsionam a venda de produtos.

O Metropolitan Museum of Art de Nova York causou um escândalo em 1983 ao anunciar uma exposição dedicada ao trabalho de Yves Saint Laurent, que ainda estava vivo, assim como sua empresa. Por outro lado, em 2011, o mesmo museu teve recorde de visitação ao homenagear o trabalho de Alexander McQueen com a expo Savage Beauty, que certamente não teve efeito negativo para as vendas da grife inglesa.

Retrospectiva Yves Saint Laurent  Exposições de moda impulsionam venda de produtos Metropolitan Museum of Art Yves Saint Laurent

Retrospectiva Yves Saint Laurent

Alexander McQueen, Savage Beuaty  Exposições de moda impulsionam venda de produtos alexander mcqueen savage beauty

Alexander McQueen, Savage Beuaty

Tradicionalmente, uma exposição do Met — um dos maiores e mais importantes museus do mundo — reúne nomes como Picasso e Van Gogh, em contraponto com marcas de moda que representam a venda massificada, principalmente por suas parcerias em licenciamento em cosméticos e perfumaria. Vale lembrar que a mostra de Saint Laurent aconteceu no departamento de vestuário e abriu as portas para todas as outras exposições sobre arte e moda.

alexander-mcqueen-savage-beauty-5  Exposições de moda impulsionam venda de produtos alexander mcqueen savage beauty 5

Miuccia Prada e Karl Lagerfeld já foram associados à figuras históricas como Elsa Schiaparelli e Coco Chanel para servirem de tema para exposições. Forçar essa conexão é, na verdade, uma maquiagem ao financiamento publicitário das casas de moda para galerias e museus, que acabam se tornando, de certo modo, vitrines para designers de moda.

Schiaparelli & Prada: Impossible Conversations   Exposições de moda impulsionam venda de produtos impossibleconversations

Schiaparelli & Prada: Impossible Conversations

A marca Proenza Schouler talvez tenha seguido uma estratégia mais honesta em sua mostra na Le Bon Marché — nada mais conveniente que uma exposição dentro de uma das lojas de departamento mais luxuosas do mundo.

Atualmente, as marcas eliminaram o intermediário para serem legitimadas. Elas contratam curadoria especializada e lançam exposições dedicadas à sua própria história.

Expo da Proenza Schouler na Le Bon Marché Rive Gauche  Exposições de moda impulsionam venda de produtos 414 1ad01 dsc1804

Expo da Proenza Schouler na Le Bon Marché Rive Gauche

Expo da Proenza Schouler na Le Bon Marché Rive Gauche  Exposições de moda impulsionam venda de produtos Le Bon Marche Rive Gauche Proenza Schouler exhibition 11

Expo da Proenza Schouler na Le Bon Marché Rive Gauche

A mostra Wonderland da maison Hermès, por exemplo, fica aberta para visitação até 2 de maio, na Saatchi Gallery, com a noção francesa de ‘flânerie’ — que tem sentido complexo e abstrato, da arte de fazer uma travessia pela cidade construindo relações imaginárias, sentindo a cidade. Aqui o público fica exposto à vitrines elaboradíssimas e luxuosas, graças a reconhecida expertise da maison francesa.

Mostra Wonderland, Hermès  Exposições de moda impulsionam venda de produtos 4 HERMES WANDERLAND EXHIBITION AT THE SAATCHI GALLERY  CREDIT James Bort

Mostra Wonderland, Hermès

Mostra Wonderland, Hermès  Exposições de moda impulsionam venda de produtos 2 HERMES WANDERLAND EXHIBITION AT THE SAATCHI GALLERY  CREDIT James Bort

Mostra Wonderland, Hermès

Mostra Wonderland, Hermès  Exposições de moda impulsionam venda de produtos 5 HERMES WANDERLAND EXHIBITION AT THE SAATCHI GALLERY  CREDIT James Bort

Mostra Wonderland, Hermès

Outros exemplos recentes são as mostras da Prada e Christian Dior em espaços da Harrods, em Londres. As duas marcas exploraram passado e presente com um lançamento pontual de produto. No caso da Dior, cosméticos; enquanto a Prada apresentou uma coleção cápsula.

A intenção maior vai além de educar e agradar os olhos de quem ama moda, tornando-se uma estratégia poderosa para reforçar a identidade da marca flertando com o universo das artes e vendendo mais produtos. E esse foi, justamente, o problema que muitos diagnosticaram com a exposição de Saint Laurent no Met.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comente!


INSTAGRAM
#BLOGAZINE