Artigos

Lendário David Bowie morre de câncer aos 69 anos

By 11 de janeiro de 2016 No Comments

David Bowie não venceu uma batalha contra um câncer e morreu três dias depois de celebrar o seu 69º aniversário e lançar o seu último álbum, ‘Blackstar’.

A notícia aconteceu pela página oficial do Facebook de Bowie e confirmada horas mais tarde à SkyNews pelo agente do cantor. O cantor lutava contra o câncer há um ano e meio, fato que foi revelado junto com a notícia de sua morte.

David-Bowie-BLOGAZINE  - David Bowie BLOGAZINE - Lendário David Bowie morre de câncer aos 69 anos

A revista Rolling Stone descreve David Bowie como “uma das mais originais e singulares vozes do rock & roll das últimas cinco décadas”. A imprensa chamou-lhe de camaleão do rock por sua inclinação para o experimental e por ser um verdadeiro visionário que passou pela androginia, pelo folk, pelo rock e mais.

David Robert Jones (Bowie foi o nome artístico que escolheu anos mais tarde) nasceu no dia 8 de janeiro de 1947 em um bairro londrino. Aos 13 anos já dava os primeiros passos na música, tocava saxofone e começava a juntar-se a pequenas bandas. Em 1967 lançou o primeiro álbum, que foi um ‘fracasso’ em vendas no Reino Unido. O sucesso veio mesmo em 1969, com a estreia de do hit Space Oddity, um single inspirado pelo filme 2001: Uma Odisséia no Espaço, de Stanley Kubrick, e que, mais tarde, foi a trilha sonora escolhida pela BBC para o momento em que o mundo assistiu à aterragem da Apollo 11 na lua.

David-Bowie-BLOGAZINE-  - David Bowie BLOGAZINE  - Lendário David Bowie morre de câncer aos 69 anos

Em 1971, lançou o álbum The Man Who Sold The World, que deu início a uma carreira riquíssima de experimentação e inovação. Poucos são os gêneros musicais que ficaram de fora da trajetória de Bowie. Sua discografia é impressionante: Aladdin Sane (1973), Pin Ups (1973), Diamond Dogs (1974), Young Americans (1975), Station to Station (1976), Low (1977), Heroes (1977), Scary Monsters (1980), Let’s Dance (1983), Tonight (1984), Never Let Me Down (1987), Tin Machine (1989), Tin Machine II (1991), Black Tie White Noise (1993), Outside (1995), Earthling (1997), Hours (1999), Heathen (2002), Reality (2003), The Next Day (2013) e Blackstar (2016) – este último lançado na última sexta-feira, dia em que comemorou 69 anos. Além do sucesso dos seus álbuns, no currículo de Bowie constam o Hall of Fame do Rock n’ Roll, que recebeu em 1996, e um Grammy por sua carreira, atribuído em 2006.

David Bowie também deixou seu legado de genialidade na moda. Um dos maiores ícones da cultura pop, apresentou-se ao mundo como uma figura de traços andrógenos, tão excêntrica quanto teatral, sempre exercitando os limites da criatividade em suas personas. O cantor foi Ziggy Stardust, o alien de cabelo cor de laranja, no limite entre o masculino e feminino, e também foi Thin White Duke, entusiasta do funk super alinhado. A cada apresentação e trabalho, Bowie cruzava as suas múltiplas identidades e procurava condensar todas as formas de arte que conhecia e dominava para criar algo novo. Sua herança para a moda permanece relevante e é constantemente referenciada tanto para figurinos da música como para editoriais de alta moda.

“Ele é provavelmente a última estrela global da sua época”, disse o jornalista inglês Paul Trynka, o seu último biógrafo. Acima de tudo, Bowie influenciou diferentes gerações na música, no estilo, no comportamento. E mudou para sempre a cultura visual. Mais que uma estrela, Bowie é uma lenda.

Comente!

Bruno Santos

Bruno Santos

co-fundador da BLOGAZINE, gosta mais de mostarda do que de ketchup. Acredita que internet deveria ser igual ao sol: disponível para todos se beneficiarem

Leave a Reply

16 + três =